terça-feira, 16 de setembro de 2008

Tudo começou com...

Com criatividade e boas dicas de nutricionistas, é possível ter todos os dias uma mesa repleta de vitaminas e nutrientes gastando pouco dinheiro. Em Campinas, o Serviço Social da Indústria (SESI) oferece, desde 1999, o programa Alimente-se bem com R$ 1,00, que ensina uma variedade de cardápios nutricionalmente ricos, mas com baixíssimo custo.
A iniciativa consiste no aproveitamento total dos alimentos com a utilização de talos, folhas de verduras, cascas de frutas e legumes que até então iam direto para a lata de lixo. O curso é oferecido gratuitamente. Todos os meses, 100 novos alunos saem do local sabendo como se alimentar de forma consciente, saudável e, de quebra, muito econômica. [...] Como exemplo, os organizadores do programa apontam o seguinte roteiro: bolo simples e leite com groselha no café; arroz, feijão, panqueca verde, salada de casca de abóbora e pudim de goiaba com casca no almoço; além de caldo verde e pão econômico no jantar. Tudo isso renderia um valor calórico de 2337,22 quilocalorias por dia. O índice mínimo indicado por técnicos em alimentação e agricultura da Organização das Nações Unidas (ONU) é de 1900 quilocalorias diárias. “A alimentação é a primeira de todas as necessidades básicas do ser humano, entretanto, não basta apenas comer, é preciso nutrir”, explica o guia sobre o programa do SESI.
Correio Popular, Campinas, 9/nov/ 2002. Cidades, p. 6
Quilocaloria (kcal) Um múltiplo da unidade de medida de energia caloria. Corresponde a 1000 calorias.

3 comentários:

Kátia disse...

Achei bom vocês estarem mostrando o que é a economia para as crianças dessa geração. Espero que continuem mostrando, para assim termos um mundo melhor.

Vanessa disse...

Muito Bom! Estão de Parabéns!

Karla disse...

O trabalho está realmente excelente. Mas, gostaria de pedir para a professora continuar pegando no pé, se não minha filha não irá tirar boas notas! :)
Beijos.